Memórias de “Pretas Velhas”: as falas das mulheres cearenses do Cariri

Joselina da Silva, Marilucia Sousa Antonia de Sousa, Daiane Patrícia Feitosa da Silva, Claudimara Barboza de Oliveira

Resumo


O Estado do Ceará vem sendo apresentado, em parte significativa da literatura acadêmica, como detentor de uma população negra numericamente inferior, em que pesem os dados em contrário. Nessa percepção, vimos realizando uma pesquisa com mulheres negras cearenses com o objetivo de mostrar que diferente da frase senso comum “no Ceará não tem negro” nossas entrevistadas nos traçam, através de suas memórias, a instituição de histórias e culturas de bases africanas no Estado. Assim, suas histórias de vida e memórias nos auxiliam a reconstruir um olhar, sobre a população negra cearense, permitindo-nos buscar a preservação de uma memória coletiva afrodescendente. Foram realizadas dez entrevistas com senhoras negras cearenses acima de 70 anos. Esta é uma pesquisa em andamento, por conseguinte os dados apresentados deverão sofrer maiores análises. Esta investigação vem sendo desenvolvida no âmbito do Núcleo Brasileiro, Latino Americano e Caribenho de Estudos em Relações Raciais, Gênero e Movimentos Sociais – N’BLAC, da Universidade Federal do Ceará, Campus avançado do Cariri.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 REALIS | Revista de Estudos AntiUtilitaristas e PosColoniais - ISSN: 2179-7501



Creative Commons CC Atribuição Não comercial, sem derivação 4.0.