Pertencimento nacional e crítica. Elementos para uma abordagem pós-colonial da maquinaria patrimonial da brasilidade

Francisco Sá Barreto

Resumo


Este trabalho é uma versão modificada de um outro paper, intitulado “Museu do pós-colonial”, apresentado no Congresso ALAS (Associação Latino-Americana de Sociologia), em setembro de 2011, na UFPE, Recife, Pernambuco. O objetivo geral do novo texto é por em discussão a brasilidade como objeto da crítica pós-colonial, submetendo, portanto, as lógicas de pertencimento nacional a revisões que vinculam uma política das identidades às estratégias de tipificação e economia da vida, ponto de partida para o complexo cruzamento contemporâneo entre biopolítica e reconhecimento. Para tanto, organizamos a discussão em três eixos fundamentais, os quais seriam: a) a relação possível entre brasilidade e sacrifício; b) a cidadania como fetiche colonial da nação; e c) o típico como dispositivo colonial. Por fim, destacamos como as questões desenvolvidas podem ser refletidas em uma maquinaria patrimonial disciplinada pelas instituições museais.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 REALIS | Revista de Estudos AntiUtilitaristas e PosColoniais - ISSN: 2179-7501



Creative Commons CC Atribuição Não comercial, sem derivação 4.0.