Pablo Gonzalez Casanova - el don, las inversiones extranjeras y la teoria social: una crítica que atraviesa las fronteras temporales

Paulo Henrique Martins

Resumo


Gonzalez Casanova sempre foi um autor pioneiro e original nas suas reflexões. Neste texto praticamente desconhecido do grande público e que foi originalmente publicado em 1957 ele demonstra mais uma vez este pendor de originalidade. Ou seja, ele introduz a teoria da dádiva para repensar os investimentos estrangeiros num momento em que o pensamento latino-americano estava se transmutando entre, por um lado, as críticas cepalinas à deterioração das trocas econômicas internacionais e, por outro, as críticas sociológicas que se abriam para as emergências das teorias das dependências que vigoram nos anos sessenta e setenta. Num momento em que a critica pós-colonial cepalina inspirada sobretudo no raciocínio econômico ainda estava começando a fazer efeitos sobre a construção social e política da realidade latino-americana – que vai se concretizar com o fortalecimento do estado desenvolvimentista – Gonzalez Casanova introduz outros elementos de reflexão que têm a ver com o caráter dos contratos internacionais e com as possibilidades das ciências sociais de explicarem as relações internacionais pela incorporação de elementos extraeconômicos que têm a ver com a leitura maussiana da realidade como fato total. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 REALIS | Revista de Estudos AntiUtilitaristas e PosColoniais - ISSN: 2179-7501



Creative Commons CC Atribuição Não comercial, sem derivação 4.0.