Cosmopolitismo, antiutilitarismo e pós-colonialidade: Interfaces, possibilidades e perspectivas

Marcos de Araújo Silva, Willy Soto Acosta, Ana Flávia Andrade de Figueiredo

Resumo


Neste artigo, refletimos sobre questões analíticas que consideramos pertinentes para análises que se detenham nas interfaces entre cosmopolitismo, antiutilitarismo e pós-colonialidade a partir das específicas heterotopias latino-americanas. Considerando que as dinâmicas incorporações de temáticas do cosmopolitismo e do antiutilitarismo às agendas sociopolíticas, quando não negligenciadas, estão sendo circunscritas por fatores como a ressignificação das dependências, a redefiniçao das imperialidades e a permanência de estados de colonialidade. Estas citadas interfaces adquirem relevância não apenas do ponto de vista conceitual, mas principalmente democrático. Por fim, apresentamos elementos que julgamos imprescindíveis nas reflexões que contemplem estas preocupações epistêmicas e as controvérsias, limites e possibilidades que lhes são constituintes e que subjazem as dimensões do cosmopolitismo e do antiutilitarismo. 

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 REALIS | Revista de Estudos AntiUtilitaristas e PosColoniais - ISSN: 2179-7501



Creative Commons CC Atribuição Não comercial, sem derivação 4.0.