San Antonio de Areco e a celebração da Tradição

Sinopse:

San Antonio de Areco é um município da província de Buenos Aires (Argentina) que é conhecida como “o berço da tradição”. Já que, desde que se criou o Dia da Tradição a final da década de 1930, primeiramente na província de Buenos Aires logo a nível nacional, a localidade foi declarada como sede oficial da comemoração. A data da Tradição corresponde ao aniversário do escritor José Hernández, 30 de novembro. A continuidade e a relevância que adquiriu o evento em San Antonio de Areco, junto às especificidades que certos atores locais ilhem outorgaram, legitimaram e consolidaram a celebração como o evento mais importante da região. Todavia, a promoção turística –em diversos médios de comunicação- tem promovido sua difusão ao nível nacional e internacional. Retomando as ideias de Eric Hobsbawm, em San Antonio de Areco tem-se configurado uma versão de tradição regional da pampa-bonaerense nomeada “surera1”. A partir de ela busca-se exaltar a figura do gaucho descrita por Ricardo Güiraldes em sua obra Don Segundo Sombra (1926). O autor tinha-se inspirado na paisagem e personagens de San Antonio de Areco através de suas vivencias de juventude na Estancia familiar La Porteña, localizada no município. Desde a década de 1930, então, a versão de tradição regional do Don Segundo Sombra foi plasmada –material e simbolicamente- em San Antonio de Areco. No marco da celebração da Tradição, organiza-se o desfile de centros tradicionalistas. Desde a década de 1970 tem-se estabelecido alguns lineamentos sobre como desfilar “apropriadamente”, configurando uma estética particular. Por exemplo, não exibir elementos novos, como celulares; se espera que a vestimenta (bombacha e casaco) seja de cor preta para os homens -preferentemente e sobre tudo para os tradicionalistas de San Antonio de Areco- além de usar botas simples, boina ou chapéu, lenço vermelho, camisa de quadrilha e guaiaca. Enquanto as mulheres apreciam-se o uso de vestido ou blusa e saia comprida em cores tradicionais ou com certas estampas, o cabelo com trança e montar o cavalo de lado. O desfile realiza-se na parte histórica da cidade, iniciando na praça principal e finalizando na área da costaneira, aonde se encontra a emblemática ponte Velha. A mesma ponte que Ricardo Güiraldes descreveu no primeiro capítulo do livro Don Segundo Sombra, como símbolo que une “as chácaras com o campo tranquilo”. E passando a ponte Velha -tombado como patrimônio nacional- a gente toda se traslada para o Parque Crioulo. Esse lugar é uma reprodução de uma “típica” Estancia pampiana-bonaerense do século XIX. Ali continua a celebração com um almoço e a apresentação de habilidades equestres. A data em que se organiza o desfile –não mais o 10 de novembro, mas o domingo mais próximo para impulsar o fluxo turístico- é o momento em que se comemora a figura do gaucho –arquétipo nacional argentino- juto a seus saberes, habilidades equestres, valores. No entanto, homens e mulheres de diversas localidades se preparam durante semanas para apresentar-se e mostrar suas vestimentas, seus conhecimentos e seus melhores cavalos. Em particular, o publico disfruta dos tropeiros quando passam pelas esquinas como aquela do bar de Bessonart. O desfile é considerado o evento mais importante da celebração da Tradição no município e tem-se convertido no atrativo turístico mais importante da região. Para alguns dos tradicionalistas o desfile é a possibilidades de difundir os “usos e costumes” do campo, para os turistas e visitantes a celebração configura-se como um espaço para ficar perto da “natureza” e conhecer os âmbitos rurais. Enquanto para as comunidades locais o desfile continua sendo um evento que ilhes permite congregar-se. É importante assinalar que o desfile da tradição, assim como articula elementos locais e nacionais da tradição rural, recupera e rememora imagens visuais e textuais expressadas no livro Don Segundo Sombra. Em particular, reproduze a figura do gaúcho simples, educado, livre pela pampa sim fio, onde pode desenvolver sua atividade de tropeiro. Esta imagem frequente no livro é representada no dia do desfile quando observamos aos centros tradicionalistas com seus cavalos na área da costaneira da cidade de San Antonio de Areco, na espera por desfilar o para dirigir-se para o Parque Crioulo, onde continua a celebração até que o sol se oculta.

Palavras-chave:

Tradição, Gaucho, San Antonio de Areco, Usos e costumes

San Antonio de Areco and the celebration of Tradition

Synopsis:

San Antonio de Areco is a district from the province of Buenos Aires (Argentina), known as the “cradle of tradition”. That is because, since the creation of the Tradition Day celebration at the end of the 1930 decade, initially in the province of Buenos Aires and then at national level, the district was declare as the official place for commemoration. The day was chosen in honor of the anniversary of the writer José Hernández, November 30th. The continuity and the magnitude that this commemoration has acquired, with the specificities that certain actors has establish to it, legitimated it and consolidated it as the most important event in the district and region. Also, the tourist promotion -made by different media- has divulged the event at national and international level. Recovering Eric Hobsbawm ideas about tradition, in San Antonio de Areco it has been configured a version of a regional tradition of the pampas known as “surera1”. In it some people try to underline the gaucho image created by Ricardo Güiraldes in its book Don Segundo Sombra (1926). This author inspired in the landscape and residents of San Antonio de Areco district, through its own experiences when he pass time at his youth in Estancia La Porteña, located there. And since the 1930 decade the construction of regional tradition described in the book was express -material and symbolically- in San Antonio de Areco. During the Tradition Celebration, the parade of tradionalist groups is organized. And since the 1970 decade, it has been establish some guidelines of how to participate “properly” in it, creating a particular aesthetic. For example, it is not allow to exhibit modern elements, like cell phones; it is prefer that tradionalist men, especially from San Antonio de Areco, were black its special gaucho pants and jacket, along with simple boots, hat, red handkerchief, traditional bell and quadrille shirt. For women is recommended traditional dress, or long skirt with blouse in traditional colors or certain prints and hair up with a braid. Also, in the parade is appreciated that women rides the horse in sidesaddle way. The parade is organized in the historic center of the city, it begins in the main square, ending at the coastal area, were the Old Bridge is located. The same Old Bridge –recognized as National Heritage- that Ricardo Güiraldes described in the first chapter of his book Don Segundo Sombra as a symbol that unites: “the country houses with quiet fields”. Hence, people cross the bridge and arrive to the Creole Park. This place is a reproduction of a “typical” Estancia from the XIX century pampas. The celebration continues at the Park with a lunch and equestrian presentations. The date in which the parade is organized –no longer in November the 10th but the closer Sunday to encourage tourism- is the moment that gaucho figure –recognized as national archetype- is honored, as well as its values, costumes and equestrian abilities. However, men and women from San Antonio de Areco collaborate in the organization of this event for several weeks to show their clothes, wisdom and their best horses. The public enjoy specially the exhibition of herds when they make a turn in certain corners of the city, like the one near Bessonart bar. The Tradition parade is a very important event in the city council and it has become the main tourist attraction in the region. Hence, for some traditionalist the parade is the possibility to let to know their costumes, for tourist and other visitants is the chance to be “close to nature” and to get to known country life and for local communities still is a very important event which congregates them. It is important to mention that the Tradition parade, although mix local and national elements of rural tradition, it also recall and recreates visual and textual images expressed in the book Don Segundo Sombra. Specially, the characteristic of simple, noble, and elegant gaucho, free in the limitless pampas were he developed its activity as herdsmen. This recurrent image is replicated during the parade when traditionalist people are near the Old Bridge with all their horses waiting to participate in the parade or to continue the way to the Park, till the sun goes down. Keywords: Tradition, Gaucho, San Antonio de Areco, Customs and habits.

Keywords:

tradition, Gaucho, San Antonio de Areco, Uses and Customs

Credits:

Autor/Author:Cecilia Pérez Winter

Fotos/Photographies: Cecilia Pérez Winter

Dirección y Texto/Direction and Text: Cecilia Pérez Winter

Edición de Imagen/Image Editing: Cecilia Pérez Winter

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista de Estudos e Investigações Antropológicas
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE – Brasil
reiappga@gmail.com