São metade macho, metade fêmea”: sobre a identidade de gênero dos homens católicos

Marjo Theije

Resumo


“São metade macho, metade fêmea.” O que significa isso? Para a mulher pernambucana que me assegurou que os homens leigos que se envolvem na religião católica “são metade macho, metade fêmea”, religião é uma atividade ligada à femi-nilidade. E os homens dos quais ela fala não são como outros homens, pois não são totalmente homens. A fala então se refere a idéias sobre o que é ser homem e o que é ser mulher. Também se refere às características ideais para atividades religio-sas. Portanto, estamos sendo confrontados com expressões de gênero e imaginário sobre gênero no contexto religioso. 

Uma primeira interrogação a ser feita aqui é que em vez de falar em termos biológicos como a mulher citada, nas ciências sociais se costuma falar em termos da cultura e do social. Então onde ela fala de macho e fêmea, nós usamos as palavras ‘masculino’ e ‘feminino’ para identificar socialmente pessoas em termos de seus gêneros.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista ANTHROPOLÓGICAS
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br