A fala que faz: Música e identidade negra no bloco afro Dilazenze (Ilhéus, Bahia)

Vincenzo Cambria

Resumo


As práticas musicais de grupos como o Dilazenze, longe de serem
compreensíveis simplesmente através da análise de seu contexto,
devem ser entendidas elas mesmas como um ‘contexto’ específico
onde são construídos e negociados tanto os grupos quanto suas
próprias identidades. Discutimos aqui algumas das características do
‘contexto’ música, assim como é concebido pelos membros desse
grupo e pelo conjunto dos grupos que formam o movimento ‘afrocultural’ da cidade de Ilhéus (BA), tentando ressaltar sua importância, seja na elaboração de uma identidade étnica, seja como canal
privilegiado para a veiculação dos discursos propostos, e como
espaço de negociação das diferenças e importante instrumento de
‘ação’.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista ANTHROPOLÓGICAS
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br