Todo lugar tem uma mãe: Sobre os filhos de Erepecuru

Raquel Dias Teixeira

Resumo


Este artigo tem como foco principal formulações de uma comunidade
ribeirinha amazônica (e remanescente de quilombo), articuladas
à luz de considerações da antropologia. Deste modo, busca oferecer
uma noção geral sobre a multiplicidade e dinâmica das relações
‘sociocosmológicas’ da comunidade, que estão assentadas em
conceitos próprios, como encantado, mães e sacacas, problematizandoos
junto a noções como pontos de vista, perspectivismo e natureza
– cultura.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista ANTHROPOLÓGICAS
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br