O balão e a catedral: Trabalho, lazer e religião na paisagem carioca

Clara Mafra, Claudia Swatowiski

Resumo


Com base em uma etnografia sobre a evolução do bairro onde foi construída a Catedral Mundial da fé – sede nacional da Igreja Universal do Reino de Deus –, ponderamos sobre mu-danças nos padrões de sociabilidade urbana e sua relação com o modo de se habitar a cidade. Sublinhamos a substituição de um modelo carnavalizado de distância/proximidade e de movimento social, para outro modelo, marcado pela segrega-ção e a ênfase na „cultura do medo‟. Uma sociabilidade carna-valizada, onde a regulação do espaço público é difusa e flexível, com base em referências de caridade e do tempo da exce-ção, dá lugar aos espaços semi-fechados, como a dos shoppings e da Catedral, que contam com mediadores de regras de socia-bilidade. Sugerimos ainda que, espaços como a Catedral ates-tam tanto a emergência de um outro modo de se habitar a metrópole quanto a falência de uma sociabilidade auto-regu-lada, com base num sistema de valores majoritariamente cató-lico.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista ANTHROPOLÓGICAS
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br