Reafricanização e dessincretização do candomblé: Movimentos de um mesmo processo

Aislan Vieira Melo

Resumo


Argumento que, para compreender o movimento de reafricanização
do candomblé, devemos percebê-lo para além do mundo religioso,
isto é, num espaço social mais amplo, qual seja, o das confluências
entre os mundos da política, da religião e da etnicidade.
Destacando momentos importantes da história da constituição da
religião no Brasil, procuro contextualizar o movimento de reafricanização
a partir das tramas próprias do mundo do candomblé,
sobretudo demonstrando que dessincretização e reafricanização
são movimentos diferentes de um mesmo processo, a saber: o de
afirmação do negro na sociedade brasileira. Nesta perspectiva,
sugiro que não há um referencial teórico único para se compreender
a reafricanização, pois existem várias possibilidades de reafricanizar.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista ANTHROPOLÓGICAS
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br