Verdade, tempo e autoria: três categorias para pensar o filme etnográfco

Eliska Altmann

Resumo


Com base em três categorias específicas – verdade, tempo e auto-ria – o artigo propõe uma discussão sobre certas diferenciações entre objetividade científica e subjetividade artística no pensar e no fazer um filme etnográfico. Discutidas primeiramente, as cate-gorias de verdade e tempo são analisadas a partir do entendimento de que conferem uma suposta objetividade científica à prática fíl-mica. A reflexão se dá em torno de sua validade e legitimidade circunscritas ao que se pretende por filme etnográfico. O conceito de autoria é debatido posteriormente por intermédio de proposi-ções da Antropologia pós-moderna, tratada em termos de poli-fonia. Assim, na medida em que a autoridade etnográfica – que pressupõe verdade e objetividade – é desautorizada em função de uma pluralidade interpretativa, abre-se à possibilidade de uma etnografia fílmica mais subjetiva. Nesta direção, o artigo busca conferir a essa etnografia um caráter mais artístico.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista ANTHROPOLÓGICAS
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br