Quando fomos modernos

Lisabete Coradini

Resumo


O tempo imprime no corpo da cidade um mundo de imagens. Memórias e possibilidades de um futuro configuram a linguagem urbana. A cidade registra as passagens do tempo e ganha existên-cia na memória de seus habitantes. Refletir sobre a construção da imagem da cidade moderna a partir dos anos quarenta do século XX, através do depoimento dos moradores da área central de Natal e da exploração do seu potencial imagético, é objetivo deste trabalho. Partindo de uma retrospectiva histórica, pretendo mostrar, através do registro fotográfico, as intervenções urbanas e arquitetônicas (prédios, casas residenciais, ruas e avenidas) que fomentaram e receberam a modernidade. A pesquisa, por conse-guinte, deu-se através do levantamento e análise das mensagens veiculadas pela mídia impressa (jornais, revistas, charge, anúncios publicitários, entre outros), enquanto elementos de construção das identidades urbanas modernas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista ANTHROPOLÓGICAS
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br