O papel dos mediadores no acesso das mulheres ao PRONAF mulher

Anita Brumer, Rosani Marisa Spanevello

Resumo


Neste artigo analisa-se o ambiente institucional do financiamento agropecuário voltado a mulheres da agricultura familiar, no Brasil. Focalizam-se os mediadores entre o governo federal e os tomadores de crédito – principalmente bancos e agências de extensão rural – que possibilitam o entendimento sobre as dificuldades e os empecilhos existentes no caminho do financiamento para as agricultoras. A análise é baseada nos resultados de pesquisas realizadas nas regiões Nordeste e Sul do país. Um dos principais problemas é a elaboração do projeto da atividade a ser financiada, uma vez que ela deve indicar sua capacidade de geração de renda e de possibilidades de pagamento do financiamento. Tanto no caso dos bancos como no da extensão, a importância do crédito para mulheres rurais não foi suficientemente internalizado. Ademais, o aumento da demanda por crédito não é acompanhado pelo aumento do número de funcionários, o que resulta em sobrecarga para os agentes ativos e na dificuldade tanto de elaboração de projetos capazes de gerar renda como em seu acompanhamento. Como consequência, de um modo geral, os projetos são de baixa qualidade e repetitivos, sendo uma proporção significativa deles voltada a atividades que já são desenvolvidas nos estabelecimentos, sob a gestão de homens.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista ANTHROPOLÓGICAS
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br