Integração Nacional ‘por baixo’: A contribuição do associativismo em Guiné-Bissau

Christoph Kohl

Resumo


O artigo analisa o papel de um certo tipo de associações para a integração nacional em Guiné-Bissau que se tornou independente de Portugal em 1973/74. Nesse país da África Ocidental as ditas manjuandadis representam uma forma de integração ‘de baixo’. Enquanto que produzam solidariedade e sociabilidade entre os seus membros – apesar da afiliação étnica – elas contribuem hoje em dia – semelhante à língua franca Kriol ou à luta anticolonial como fatores integracionistas – para a construção da Nação ‘por baixo’, pela ‘população normal’. Esse artigo vai mostrar que as manjuandadis e o papel delas transformavam-se bastante durante as últimas décadas. Os impactos de longo prazo das manjuandadis provêm do Estado monopartidário na primeira década após a independência, quer dizer que o Estado pós-colonial também contribui para a construção da Nação. A partir dos anos noventa, após uma liberalização econômica e política, as manjuandadis tinham de desenvolver novas estratégias para poder responder a novos desafios sociais.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista ANTHROPOLÓGICAS
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br