Notas etnográficas sobre a humanização em saúde: Corpo e mediação

Cristina Dias da Silva

Resumo


O artigo apresenta e discute dados etnográficos em torno de um projeto de humanização em saúde, a partir do cotidiano de dois fisioterapeutas e coordenadores das novas práticas terapêuticas. Inspirados no debate francês sobre o estatuto do corpo nas for-mações disciplinares biomédicas, a fenomenologia da percepção de Merleau-Ponty era o ponto de partida para realizar uma crítica construtiva das interações face a face entre profissionais de saúde e pacientes. Parte de um movimento mais abrangente, designado genericamente como ‘humanização em saúde’, o grupo possuía um ponto de convergência com outros: a reincidente oposição às práticas biomédicas como se fossem práticas, a priori, desumani-zadas. Partindo desta discussão mais ampla, o artigo busca com-preender a relação entre corpo e mediação sustentada pelo grupo estudado como elemento central de seu projeto de humanização.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista ANTHROPOLÓGICAS
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br