Saber os nomes: observações sobre a degola e a violência contra Bello Monte (Canudos)

Edwin Reesink

Resumo


A historiografia e análise de Canudos, o Bello Monte do Antônio Conselheiro, avançou muito durante a década do centenário dos eventos da Guerra (a última década do século passado). Tal fato poderia induzir à impressão de que o tema se encontra de tal forma consolidado de que não necessita mais de maiores pesquisas, análises e revisão teórica. No entanto, uma leitura cuidadosa da literatura mostra a necessidade da revisão e ampliação de uma perspectiva antropológica. A violência da degola é, por exemplo, um aspecto de terror que merece ser retomado, numa perspectiva de longa duração. Uma revisão da prática da degola (por parte dos vencedores) e as práticas de sepultamento, dos dois lados, leva a uma interpretação mais explícita da sua violência prática e simbólica para os conselheiristas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista ANTHROPOLÓGICAS
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br