Desapropriações, Resistências e o Megaevento da Copa do Mundo: tempo, poder e projetos de desenvolvimento

Parry Scott & Alice Bezerra de Mello Moura

Resumo


Dando ênfase à especificidade de megaeventos, em contraste com outros projetos e polos de desenvolvimento, este trabalho analisa impactos da Copa do Mundo de Futebol de 2014, na Região Me-
tropolitana do Recife, Pernambuco. Examina intervenções urbanas associadas à construção da Arena e ao evento da FIFA. Foca violações de direitos humanos e desapropriações decorrentes deste
projeto de investimento. Discute a busca de uma imagem positiva internacionalmente e contradições no discurso sobre legados. As vantagens enfatizadas pelos promotores do projeto, são examina-
das como frágeis. São contrapostas às ações de resistência dos atingidos na sua busca de mitigação/compensação nas suas estratégias de vida cotidiana, danificadas pelo governo. Uma análise do controle do tempo, e seus efeitos deletérios, nas práticas de resistência dos atingidos, que residiam no Loteamento São Francisco, e na sua aliança com o Comitê Popular da Copa, mostra as tentativas de resistir as sérias violações de direitos humanos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista ANTHROPOLÓGICAS
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br