Apropiaciones de la Naturaleza, Reproducción de la Desigualdad Ambiental y Desposeción Material y Simbólica en la Política del Saneamiento para la Villa Inflamable (Cuenca Matanza-Riachuelo)

Débora A. Swistun

Resumo


Este artigo compartilha reflexões que dão conta do imbricamento material e simbólico entre conceitos relacionados ao direito à moradia digna em um ambiente saudável, ao desenvolvimento industrial e aos riscos ambientais que guiam a política de reassentamento dos habitantes da villa Inflamable, no contexto do plano integral de saneamento ambiental para a bacia do rio Matanza-Riachuelo (Buenos Aires). Além disso, são dadas respostas iniciais às seguintes perguntas: quais são os conceitos de natureza que os atores envolvidos, principalmente os do governo local e nacional,
adotam na política de remoção? Qual é o paradigma predominante das relações humano-ambientais que fazem esses conceitos compreensíveis? E o que nos diz o caso de villa Inflamable sobre processos de remoção populacional por projetos de grande escala, entendidos como políticas de acumulação por desapropriação, nos termos de Harvey (2004)?

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista ANTHROPOLÓGICAS
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br