Imagem para capa

O CHÁ DE CEBOLA BRANCA E A RAINHA DO REISADO

Ribamar José de Oliveira Junior

Resumo


Com peito branco e cabeça vermelha, ele mede aproximadamente 14 centímetros e meio. Nos galhos da Chapada do Araripe, região Nordeste do Brasil, a espécie também conhecida como lavadeira-da-mata, apresenta um dimorfismo sexual no que diz respeitos a plumagem. O Soldadinho do Araripe, mais vistoso do que a fêmea, possui um elmo na cabeça que o nomeou dessa forma. Ela possui um penacho mais reduzido. Distante de estabelecer uma relação entre misoginia e natureza, a materialidade sexual posta em uma primeira ordem entre o macho e a fêmea, acaba por condicionar duas verdades sobre os corpos: — tidos aqui tamanho de menos de um palmo — é obrigatório que o macho aja como macho e a fêmea aja como fêmea. Coube a espécie, encontrada apenas nas cidades de Barbalha, Araripe, Crato e Missão Velha, no Ceará, ser um dos referenciais do território da região do Cariri. Os municípios citados estão localizados na região metropolitana do Cariri, formada por nove municípios, surgida a partir da conurbação entre os municípios de Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha. É nesse território em que o pássaro canta que brinca Tica. Durante um ano, de outubro de 2016 a outubro de 2017, conversei com a brincante Francisca da Silva do Reisado Santa Helena em Juazeiro do Norte. No período em que se iniciou a pesquisa, ela morava no bairro Mutirão, ao lado da sede do grupo e casa do Mestre Dedé, dono do boi — como assim chama quem conduz o Reisado — que carrega o legado do pai na cultura popular em homenagem a santa que o protegeu. Dentro do vestido branco que abre alas no Reisado de Mestre Dedé Tica não sabe se as pessoas a veem como um homem ou como uma mulher. Desafiando o binarismo de gênero, a brincante, que ocupa o figural de Rainha na manifestação tradicional, reinventa a cultura popular na região do Cariri cearense por meio da performance artística. Tica nasceu de papo para cima. A parteira quando viu que o menino da falecida Tereza havia vindo ao mundo assim, anunciou que ele ia ser mais mulher do que homem. É a sina que a Rainha diz ter. Na poética do cotidiano, ela desvenda o rito religioso e subverte o corpo atravessado por preces, desejos e amor.


Texto completo:

VÍDEO

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista AntHopológicas Visual
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br