Imagem para capa

Fado ou frevo no Carnaval dos Bichos? – A folia do Taboquinhas / Fado or frevo? - The Taboquinhas’ Group

Walter Andrade

Resumo


Sinopse:

Esse vídeo foi apresentado como parte do trabalho de conclusão de curso (TCC) em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). O estudo se debruçou sobre o grupo Taboquinhas, fundado em 1924 no interior de Pernambuco, mais especificamente na cidade de Vitória de Santo Antão, um dos polos da folia no interior do estado e local conhecido também por seu “carnaval de bichos”, devido às agremiações carnavalescas que possuem nomes de animais. O Taboquinhas é único remanescente ativo dos antigos “clubes de fado” que existiam na cidade. Segundo o historiador José Aragão (1983), os fados, juntamente aos clubes de manobras (ou de pedestres), foram os primeiros clubes organizados em Vitória, surgidos nas duas últimas décadas do século XIX. Algumas características do Taboquinhas, são apresentadas ao longo do vídeo, através de depoimentos, filmagens de dois dias de desfiles no ano de 2016 e através do uso de material histórico.

O nome do grupo faz referência à batalha das Tabocas, que aconteceu no Monte das Tabocas, em Vitória, nos anos de 1645 e que resultou no início da expulsão dos holandeses do estado de Pernambuco. A peculiaridade da agremiação reside no fato de tratar-se de um fado carnavalesco, elemento que o torna — pelo menos até então — a única agremiação do tipo ainda em atividade no carnaval do estado de Pernambuco, além de ser uma agremiação tipicamente vitoriense, não sendo encontrada em outras cidades. O título do trabalho faz referência a suposto “fado” do grupo Taboquinhas, questionando se haveria uma relação com o fado (gênero musical) português ou com o frevo.

O Taboquinhas é formado em maioria por adultos e idosos, mas conta com participação de jovens, alguns filhos, netos e sobrinhos dos mais velhos. A disposição para o desfile é feita por dois “cordões” de homens e mulheres vestindo trajes (e cores) de camponeses portugueses, um porta-estandarte, as duas figuras principais Senhora Helena, Sinhá Pequena e por uma pequena orquestra de pau e corda, composta por bandolim, pandeiro, rabeca e violões. Embora se trate de um clube de fados, a sonoridade é próxima da de um frevo de bloco (aquele tocado pelos blocos líricos). Apesar disso, o Taboquinhas não é um bloco lírico, embora toque frevo de bloco ou marcha de bloco. Tanto ele quantos clubes de fados apresentam certas características específicas, o que não o torna um caso isolado de bloco lírico com personagens diferentes ou algo do tipo. Eles apresentam a peculiaridade de os membros trajarem vestes do tipo português, de ter a taboca – um tipo de vara de bambu que vai sendo batida no chão ao longo do desfile – como elemento presente na performance, além de possuírem duas figuras centrais: senhora Helena e sinhá Pequena, que não estão presentes nos blocos líricos.

Por fim, este vídeo pode ser considerado com uma introdução a este tipo de agremiação até então pouco estudada e denominada de clube de fado, voltado mais especificamente para a Taboquinhas, enquanto remanescente e grupo muito querido, presente no imaginário da população local como um patrimônio de seu carnaval.

Synopsis:

This short movie was presented how part of the final work to received the diploma in Social Sciences at Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). This study it’s about Taboquinhas’ Group, founded in 1924 in the city of Vitória de Santo Antão (PE), one the places most popular in the carnival times and called “carnaval dos bichos” (carnival of the animals), due to groups named like animals. The Taboquinhas’ is the only “clube de fado” in activity. There was some groups in the past, but now just the Taboquinhas’. According to José Aragão (1983), the fado’s groups was the first organized carnival groups in Vitória. They emerged in the 19th century. Some Taboquinhas' features will be shown in the movie through ex-members reports, historical materials and two presentations in the carnival of 2016.

The name of group is to honor a “Batalha das Tabocas” (Battle of Tabocas). This Battle occurred in the year 1645 in Vitória de Santo Antão and was the beginning of the expulsion of the Dutch army (according to part of local history). The interesting fact in Taboquinhas’ group is in reference of the local denomination: one fado in carnival. This fact its very singular. The title of the short movie its in allusion at this “fado” of the Taboquinhas’, questioning about a link with the fado from Portugal or with frevo music.

The Taboquinhas it’s composed by adults, elderly person, young people and some children, grandsons or familiars from the older participants. In the carnival parade they have two “cordões” with mans and woman's wearing clothes (with colors) like Portuguese peasants, one standard-bearer, two character called Senhora Helena and Sinhá Pequena; one little orchestra of “pau e corda” (wood and rope), composed for mandolim, tambourine, “rabeca” and guitars. Although it’s called “clube de fado”, the group sounds like a frevo de bloco (a type of frevo and played for the “blocos lìricos” from Recife). However, the Taboquinhas it’s not a “bloco lírico”, despite play “frevo de bloco” or “marcha de bloco” and not fado However, the Taboquinhas it’s not a “bloco lírico”, despite play “frevo de bloco” or “marcha de bloco” and not fado (like the Portugal rhythm). This two types of carnival groups are different. The clothes, character, colors and others elements used during the parade.

Finally, this short movie it’s a little introduction to “clube de fado” even yet unknown, more specifically focused in Taboquinhas’ group, the last one for the type, very present in the popular imaginary from the people of the city and treated how one local heritage.

Palavras-chave:

Taboquinhas, Carnaval, Cultura Popular, Frevo, Fado, Clube de Fados

Key-words:

Taboquinhas, Carnival, Popular Culture, Frevo, Fado, “Clube de fados”

Ficha técnica:

Direção: Hérika Araújo, Saulo Lima, Walter Andrade

Argumento: Walter Andrade

Fotografia: Saulo Lima, Walter Andrade

Edição e Montagem: Walter Andrade

Trabalho de conclusão de curso: Walter Andrade

Orientação: Lady Selma Ferreira Albernaz

Co-orientação: Ana Cláudia Rodrigues da Silva e Luciana Mendonça

Credits:

Direction: Hérika Araújo, Saulo Lima, Walter Andrade

Text: Walter Andrade

Photography: Saulo Lima, Walter Andrade

Editing: Walter Andrade

Monograph: Walter Andrade

Orientation: Lady Selma Ferreira Albernaz

Co-orientation: Ana Cláudia Rodrigues da Silva and Luciana Mendonça


Texto completo:

VÍDEO

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista AntHopológicas Visual
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br