Edição

Sinopse:

Esse ensaio fotográfico traduz as minhas viagens etnográficas entre a cidade de Cachoeira e São Félix, no Recôncavo da Bahia. O que falar de Cachoeira e São Félix? Penso que são cidades históricas e culturais que me desperta o desejo pela riqueza bioancestrálica.

A pesquisa etnográfica nos permite encontros, afetos, múltiplos conhecimentos, descobrimentos, e assim como já afirmou o antropólogo Marcio Goldman (2003), que defende a ideia de “catar folha”, obtendo resultados satisfatórios pouco a pouco, indo ali, indo cá, andando, e buscando as informações em campo. A partir daí entendo que todas as idas e vindas de viagens fez com que eu pudesse me reencontrar com a ancestralidade.

Ao chegar em Cachoeira x São Félix conheci diversas pessoas que me acolheu de coração, como Ekedji Romilda de Sogbó da Roça do Ventura em Cachoeira, Babá Idelson de Ogum Megege do Terreiro Ogunjá em São Félix, Iyá Regina de Avimaje do Terreiro Huntologi, Professora Francisca Marques do (LEAA-Recôncavo), Udinaldo Neto e Letícia Catete do (PPGCS-UFRB) amigos ímpares, dentre outros. As fotos do ensaio em questão registra o meu percurso diário, festivo e turístico nas cidades já mencionadas acima.

A diversidade religiosa dos terreiros é imensurável na cidade de Cachoeira x São Félix, porque pude conhecer Terreiros de Nação: Nagô, Nagô-Vodum, Ketu, Jeje Mahin e Angola. Participei da Lavagem de Cachoeira, em 2019, da Festa de Ogum, Oxum e Caboclos no Ogunjá em São Félix, em 2019, o Centenário do Terreiro Raíz de Ayrá, em 2019, e tantos outros espaços religiosos e não religiosos.

Synopsis:

This photo essay reflects my ethnographic travels between the city of Cachoeira and São Félix, in the Recôncavo da Bahia. What about Cachoeira e São Félix? I think they are historical and cultural cities that arouse my desire for bio-estral richness.

Ethnographic research allows us to find encounters, affections, multiple knowledge, discoveries, and as stated by anthropologist Marcio Goldman (2003), who defends the idea of “picking leaves”, getting satisfactory results little by little, going there, going here, walking, and seeking information in the field. From then on I understand that all the comings and goings of travels allowed me to rediscover my ancestry.

Arriving in Cachoeira x São Félix I met several people who welcomed me from the heart, such as Ekedji Romilda from Sogbo da Roça do Ventura in Cachoeira, Babysitter Idelson from Ogum Megege from Terreiro Ogunjá in São Félix, Iyá Regina from Terreiro Huntologi Avimaje, Professor Francisca Marques do (LEAA-Recôncavo), Udinaldo Neto and Letícia Catete from (PPGCS-UFRB) odd friends, among others. The photos of the essay in question record my daily, festive and touristic journey in the cities already mentioned above.

The religious diversity of the terreiros is immeasurable in the city of Cachoeira x São Félix, because I got to know Terreiros de Nação: Nagô, Nagô-Vodum, Ketu, Jeje Mahin and Angola. I participated in the Waterfall Wash in 2019, the Ogum, Oxum and Caboclos Festival in the Ogunjá in São Félix, in 2019, the Terreiro Raíz de Ayrá Centenary, in 2019, and many other religious and non-religious spaces.

Palavras-chave:

Cachoeira; São Félix; Etnografia; Antropologia Visual.

Ficha técnica:

Autor: Elder Pereira Ribeiro

Fotografias: Elder Pereira Ribeiro

Direção, Edição de Imagem e Texto: Elder Pereira Ribeiro

Keywords:

Waterfall; Sao Felix; Ethnography; Visual anthropology.

Datasheet:

Author: Elder Pereira Ribeiro

Photographs: Elder Pereira Ribeiro

Direction, Image and Text Editing: Elder Pereira Ribeiro

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista AntHopológicas Visual
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br