Edição

Sinopse:

As imagens fotográficas expostas neste ensaio antropológico estão relacionadas a uma etnografia visual sobre eventos da cultura Hip Hop e seus quatro elementos artísticos básicos (a música Rap, a dança Break, o Graffiti e a figura do/a Deejay) ocorridos durante as celebrações do Dia Mundial do Hip Hop comemorado na data de 12 de novembro de 2019 em diversas regiões da cidade de Manaus, capital do estado do Amazonas.

Percorremos inúmeras áreas da cidade onde foram realizadas festas, shows, bailes (assim são chamados os encontros de Hip Hop onde o intuito é dançar, ouvir músicas e conversar) em datas e organizados por grupos distintos para perceber este universo e sua heterogeneidade de pessoas, estéticas corporais, de imagens, de formas, de cores, de estilos, de vestuários e de batidas eletrônicas.

Neste sentido, insistimos em alegar que a cultura Hip Hop é um fenômeno de amplitude global e hereditária da diáspora africana do Atlântico e que por isto, traz consigo toda uma carga de discriminações, falta de informação, medos e preconceitos ligados a tudo que relembre ou aponte algo como cultura africana e/ou afro-brasileira. Tudo isto ocasiona, um processo de invisibilidade muito combatido pelos militantes do Hip Hop. O Hip Hop é uma válvula de escape para esta juventude.

A cultura Hip Hop não está mais restrita apenas em áreas periféricas e/ou consideradas marginalizadas das grandes cidades. A sonoridade da música Rap e as tintas expostas pelo Graffiti ultrapassam barreiras topográficas e se espalharam feito rastilhos de pólvora pelos centros, condomínios, palafitas, manguezais, “quebradas” e os arrabaldes mais longínquos.

São registros visuais da montagem de alguns eventos, das performances dos dançarinos e dançarinas do Breakdance ou da Dança de Rua, de grafiteiros e grafiteiras pintando ao ar livre, da musicalidade dos Deejay’s e das rimas quilométricas dos MC’s nos microfones.O esforço de captura destes aspectos está umbilicalmente ligado ao trabalho de campo para a construção do projeto de tese de doutoramento intitulado QUATRO CABEÇAS DE UMA HIDRA URBANA E UM BUMERANGUE AFRICANO NA CULTURA HIP HOP DE MANAUS - AM desenvolvido no âmbito do Programa de Pós-graduação em Sociedade e Cultura da Amazônia (PPGSCA) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

synopsis:

The photographic images exhibited in this anthropological essay are related to a visual ethnography of Hip Hop culture events and their four basic artistic elements (Rap music, Break dance, Graffiti and Deejay figure) during the Day celebrations. Hip Hop World Championship celebrated on November 12, 2019 in various regions of the city of Manaus, capital of the state of Amazonas.

We toured numerous areas of the city where parties, concerts, dances were held (so called Hip Hop meetings where the intention is to dance, listen to music and talk) on dates and organized by distinct groups to understand this universe and its heterogeneity of people, body aesthetics, images, shapes, colors, styles, garments and electronic beats.

In this sense, we insist on claiming that Hip Hop culture is a phenomenon of global and hereditary magnitude of the African Atlantic Diaspora and that, therefore, brings with it a whole load of discrimination, lack of information, fears and prejudices linked to everything it remembers or point out something like African and / or Afro-Brazilian culture. All this leads to a process of invisibility that is much fought by Hip Hop activists. Hip Hop is a relief valve for this youth.

Hip Hop culture is no longer restricted only to peripheral and / or considered marginalized areas of large cities. The sound of Rap music and the graffiti-exposed paints surpass topographic barriers and spread like gunpowder fuses through the centers, condominiums, stilts, mangroves, “broken” and far-flung outskirts.

These are visual records of the assembly of some events, the performances of Breakdance or Street Dance dancers, graffiti artists and graffiti artists painting outdoors, the musicality of the Deejay's and the MC's rhyming miles on the microphones.

The effort to capture these aspects is umbilically linked to the field work for the construction of the doctoral thesis project entitled FOUR HEADS OF AN URBAN HYDRA AND AN AFRICAN BUMERANG IN THE HIP HOP CULTURE OF MANAUS - AM developed under the Postgraduate Program in Amazonian Society and Culture (PPGSCA) of the Federal University of Amazonas (UFAM).

Palavras-chave:

Imagens; Cultura; Hip Hop; Manaus; Amazonas.

Keywords:

Images; Culture; Hip hop; Manaus; Amazons.

Ficha técnica:

Autor: Sidney Barata de Aguiar

Fotografias: Sidney Barata de Aguiar

Direção, Edição de Imagem e Texto: Sidney Barata de Aguiar

Datasheet:

Authors:Sidney Barata de Aguiar

photographs:Sidney Barata de Aguiar

Direction, Image and Text Editing:Sidney Barata de Aguiar

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista AntHopológicas Visual
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br