Saúde sexual e reprodutiva no puerpério: vivências de mulheres

Giovanna Brunna da Silva Justino, Natália Salim, Glauce Soares, Nayara Baraldi, Iraí Teixeira

Resumo


RESUMO

Objetivo: compreender como as mulheres lidam com a sexualidade e a vida reprodutiva no período puerperal. Método: trata-se de estudo qualitativo, descritivo. Realizaram-se entrevistas com puérperas usuárias de Unidade de Saúde da Família. Apresentaram-se os resultados por meio de figuras e da Análise de Sentidos. Resultados: mostraram-se, pelos principais resultados, os desafios para a incorporação das temáticas da sexualidade e do planejamento reprodutivo como parte da atenção à saúde das mulheres no período pós-parto. Expressaram-se as questões de gênero nas formas como as mulheres lidam com seus corpos e a sexualidade. Conclusão: torna-se necessário o desenvolvimento de estratégias educativas e práticas baseadas na integralidade do cuidado, possibilitando espaços de discussão e empoderamento das mulheres de forma a garantir seus direitos sexuais e reprodutivos. Descritores: Período Pós-parto; Anticoncepção; Saúde da Mulher; Sexualidade; Direitos Sexuais e Reprodutivos; Gênero e Saúde.

ABSTRACT

Objective: to understand how women deal with sexuality and reproductive life in the puerperal period. Method: this is a qualitative, descriptive study. Interviews were carried out with puerperal users of the Family Health Unit. Results were presented by means of figures and the Analysis of Senses. Results: the main results showed the challenges for the incorporation of sexuality and reproductive planning as part of women's health care in the postpartum period. Gender issues have been expressed in the ways women deal with their bodies and sexuality. Conclusion: it is necessary to develop educational strategies and practices based on integral care, allowing spaces for discussion and empowerment of women in order to guarantee their sexual and reproductive rights. Descriptors: Postpartum period; Contraception; Women's Health; Sexuality; Sexual and Reproductive Rights; Gender and Health.

RESUMEN

Objetivo: comprender cómo las mujeres tratan con la sexualidad y la vida reproductiva en el período puerperal. Método: se trata de un estudio cualitativo, descriptivo. Se realizaron entrevistas con puérperas usuarias de Unidad de Salud de la Familia. Se presentaron los resultados por medio de figuras y del Análisis de Sentidos. Resultados: se mostraron, por los principales resultados, los desafíos para la incorporación de las temáticas de la sexualidad y de la planificación reproductiva como parte de la atención a la salud de las mujeres en el período postparto. Se expresaron las cuestiones de género en las formas como las mujeres tratan con sus cuerpos y la sexualidad. Conclusión: se hace necesario el desarrollo de estrategias educativas y prácticas basadas en la integralidad del cuidado, posibilitando espacios de discusión y empoderamiento de las mujeres para garantizar sus derechos sexuales y reproductivos. Descritores: Periodo Posparto; Anticoncepción; Salud de la Mujer; Sexualidad; Derechos Sexuales y Reproductivos; Género y Salud.


Palavras-chave


período pós-parto, anticoncepção, saúde da mulher, direitos sexuais e reprodutivos, gênero e saúde

Texto completo:

PDF (English) PDF

Referências


¹ Brandão, ER, Cabral, CS. Da gravidez imprevista à contracepção: aportes para um debate. CSP, Rio de Janeiro, 2017; 33(2): 211-216.

Mattar, LD, Diniz, CSG. Hierarquias reprodutivas: maternidade e desigualdades no exercício de direitos humanos pelas mulheres. Interface (Botucatu). 2012; 16(40): p.107-120.

Cabral, Cristiane da Silva. Articulações entre contracepção, sexualidade e relações de gênero. Saúde Soc. 2017; 26(4):1093-1104.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção a Saúde. Direitos sexuais, direitos reprodutivos e métodos anticoncepcionais. 1ª ed. Brasília-DF, 2009.

Moore, Zhuzhi et al. Missed opportunities for family planning: an analysis of pregnancy risk and contraceptive method use among postpartum women in 21 low- and middle-income countries. Contraception. 2015; 92(1): 31-29

UNFPA. Mundos Distantes: saúde e direitos reprodutivos em uma era de desigualdade. Situação da População Mundial em 2017.

Santos, Rayanne Branco et al. Processo de readequação de um planejamento familiar: construção de autonomia feminina em uma Unidade Básica de Saúde no Ceará. RECIIS. 2016; 10(3): 1981-6278

Adamcheski, JK, Wieczorkievicz, AM. Conhecimentos das mulheres relacionados ao período do puerpério. Saúde Meio Ambient, 2013; 2(1): 69-83.

Brito, R et al. Atitudes do comportamento sexual feminino e suas peculiaridades. Sci. Elec. Arch. 2015; 8(1): 66-71.

Higgins, Jenny A; Smith, Nicole K. The Sexual Acceptability of Contraception: Reviewing the Literature and Building a New Concept. J Sex Res. 2016; 53(4-5):417–456, 2016.

Mercado, N C. Cuidados e orientações de enfermagem às puérperas no alojamento conjunto. Rev enferm UFPE. 2017; 11(9): 3508-3515

Minayo MCS. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Rio de Janeiro, 14 ed, 2007, p.51.

Spink MJ. Linguagem e produção de sentidos no cotidiano. Rio de Janeiro: Biblioteca Virtual de Ciências Humanas do Centro Edelstein de Pesquisas Sociais; 2010.

Potter J. Discourse analysis and constructionist approaches available. In: Richardson JTE, editor. Handbook of qualitative research methods for psychology and the social sciences. Leicester: BPS Books. 1996. p. 125-140

Medeiros, Franciele. A invisível ditadura da beleza no Brasiluma: questão etnocêntrica. Revista Antropología del Cuerpo. 2015; (0): p. 38-50.

Costa, Lívia Pereira da; Rabay, Gloria. Patriarcado e sexualidade: uma análise sobre a mulher presente nos webcomics “Garota Siririca”. In: XII Colóquio Nacional Representações de Gênero e Sexualidade; 2016; Paraíba-BR: Editora Realize, 2015. 1-10. Disponível em: http://www.editorarealize.com.br/revistas/conages/trabalhos/TRABALHO_EV053_MD1_SA10_ID1183_23052016221400.pdf. Acesso em: Jun 2018.

Colla, Cássia et al. Pelvic floor dysfunction in the immediate puerperium, and 1 and 3 months after vaginal or cesarean delivery. Int J Gynaecol Obstet. 2018; 143(1): 94-100.

Brasil. Ministério da Saúde. Diretriz nacional de assistência ao parto normal. Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS. 2016

Diniz, Simone Grilo, Salgado, Heloisa de Oliveira, Andrezzo, Halana Faria de Aguiar, Carvalho, Paula Galdino Cardin de, Carvalho, Priscila Cavalcanti Albuquerque, Aguiar, Cláudia de Azevedo, & Niy, Denise Yoshie. (2015). Abuse and disrespect in childbirth care as a public health issue in Brazil: origins, definitions, impacts on maternal health, and proposals for its prevention. Journal of Human Growth and Development, 25(3), 377-384.

MCDonald E; Brown, E. Does method of birth make a difference to when women resume sex after childbirth? Epidemiology. 2013; 120(7): 823–830.

Gennep, A. V. Os ritos de passagem. 2. ed., Trad. Mariano Ferreira. Petrópolis: Vozes; 2011; 15(4): 8211-113.

Matos, Manuelle Lopes; Arruda, Lucybeth Camargo. O uso da memória para investigação de ritos no parto e “resguardo” em Santarém (PA). Percursos. 2016; 2(1): 10-22.

Lima PVC, et al. Uso de métodos contraceptivos por usuárias de uma unidade básica de saúde. Rev Enferm UFPI. 2015; 4(1): 11-8.

Cwiak, Carrie; Cordes, Sarah. Postpartum intrauterine device placement: a patient-friendly option. Contraception and Reproductive Medicine. 2018; 3(3): 1-5

Brunson, Michael et al. Postpartum contraception: initiation and effectiveness in a large universal healthcare system. Am J Obstet Gynecol. 2017; 217(1): 1-55

BRASIL. Congresso Nacional. Lei do Planejamento Familiar. 1996.

Dehlendorf, C et al. Shared decision making in contraceptive counseling. Contraception. 2017; 95(5): 452–455




DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963.2019.240054



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:

 doajPeriódicoscapes

bvs elsevier nlm diadorim periodicaabec

 

cinahl citefactor cuidenplusb socolar ulrichs sumarios