ESPAÇOS PÚBLICOS E GEO-SIMBOLISMOS NA “CIDADE-ESTUÁRIO”: RIOS, PONTES E PAISAGENS DO RECIFE

Caio Maciel

Resumo


As imagens dos espaços públicos estão impregnadas dos valores e sentidos, muitas vezes conflitantes, que a sociedade lhes imputa, refletindo contradições e desacordos entre os diferentes atores que constroem e interpretam a cidade. Entretanto, há lugares e objetos que assumem um papel de síntese, gerando metonímias geográficas com grande poder de orientar as leituras e ações sobre o espaço urbano. Este artigo analisa como a retórica da paisagem opera na qualificação simbólica e material do centro do Recife, recorrendo a um imaginário geográfico longamente sedimentado, mas nem por isso estático, que inclui os seus rios, pontes e mangues.

Palavras-chave: Geografia da percepção, semiologia urbana, cidade do Recife.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJLATINDEX
ROADDRJI
PERIÓDICOS CAPES