RELAÇÕES ENTRE GEOSSISTEMAS E USOS DA TERRA EM MICROBACIA HIDROGRÁFICA SEMI-ÁRIDA: O CASO DO RIACHO GRAVATÁ/PESQUEIRA PE

Felippe Luís Maciel da Silva, Antonio Carlos de Barros Corrêa

Resumo


As microbacias compreendem uma unidade da paisagem física extremamente favorável para a realização de uma análise sistêmica dos componentes que estruturam a superfície terrestre. Como parâmetro de análise funcional, a microbacia contém e redistribui os fluxos hídricos dentro de um recorte espacial fisicamente definido, e, portanto, permite a aferição de inputs e outputs energéticos, bem como a avaliação direta do grau de conectividade e sensitividade ambiental dos elementos que a estruturam. Para além das considerações de ordem geomorfológica processual, a micro-bacia do riacho Gravatá compreende dois geossistemas distintos, que apesar de delineados em sua materialidade pelos controles morfoestruturais e morfopedológicos, resultam em dois sub-espaços com dinâmicas de ocupação diversas, sendo um marcado pela fruticultura comercial e a policultura de subsistência sobre as áreas serranas de encostas (brejo), e outro associado à pecuária extensiva assentado sobre os pedimentos semi áridos. As trocas de energia, no entanto, são estabelecidas entre as duas unidades com base na disputa pela terra e água, que assume ao mesmo tempo um caráter de integração e ruptura entre ambos os geossistemas, ao longo do curso intermitente do riacho Gravatá.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJLATINDEX
ROADDRJI
PERIÓDICOS CAPES