FLORA DO ESTRATO HERBÁCEO EM UM FRAGMENTO URBANO DE FLORESTA ATLÂNTICA – PE

Ricardo César Soares Jr., Eduardo Bezerra de Almeida Jr., Luciana Maranhão Pessoa, Rejane Magalhães de Mendonça Pimentel, Carmen Silvia Zickel

Resumo


O objetivo deste estudo foi conhecer a riqueza da flora herbácea do fragmento florestal urbano. Foram realizadas coletas florísticas ao longo das trilhas existentes no interior do fragmento da Estação Ecológica de Caetés - ESEC (7º55’15’’S 34º55’15’’W), município de Paulista, Pernambuco, que possui vegetação classificada como Floresta Ombrófila de Terras Baixas. Também foi incorporada a listagem florística os registros das espécies herbáceas depositadas nos herbários PEUFR e do IPA. O estrato herbáceo considerado foi o ocupado pelas ervas terrícolas, não lignificadas e com os indiví¬duos até 1m de altura. Foram identificadas 75 espécies, 60 gêneros, distribuídos em 27 famílias. As famílias com maior número de espécies foram Cyperaceae (14 ssp) Poaceae (11), Asteraceae (8), Fabaceae (6), Rubiaceae (4), Malvaceae (3) e Polygalaceae (3), perfazendo 65,33% do total. As espécies mais comuns foram Borreria verticillata (L.) G. Mey., Sida ciliaris L., Stylosanthes viscosa (L.) Sw., Sphagneticola trilobata (L.) Pruski consideradas plantas ruderais. Nossos dados, corroborados pela literatura, mostram que a flora herbácea tem elevada riqueza e contribui com a diversidade total nos fragmentos de floresta e mostram sua importância para a ocupação do solo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJ
ROADDRJI

PERIÓDICOS CAPES

 

 

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.