OS MUNDOS VIVIDOS DE JARDIM DE PIRANHAS-RN E TACARATU-PE E SUAS RELAÇÕES COM OS CIRCUITOS DE FLUXOS SÓCIOESPACIAIS DAS INDÚSTRIAS TÊXTEIS DE REDES DE DORMIR LOCAIS

José Erimar dos Santos, Rosalvo Nobre Carneiro, Alcindo José de Sá

Resumo


Jardim de Piranhas-RN e Tacaratu-PE são considerados pólos dinâmicos de produção têxtil no Rio Grande do Norte e Pernambuco, principalmente panos de prato e redes de dormir, respectivamente. Objetiva-se analisar as relações entre os mundos da vida de Jardim de Piranhas e de Tacaratu e os circuitos de fluxos sócioespaciais de suas indústrias têxteis, buscando explicar suas diferenças e semelhanças. Utilizou-se dos trabalhos de Habermas (1996), Santos e Silveira (2002) e particularmente Carneiro (2006). Realizou-se pesquisa de campo em que se entrevistaram empresas de associação e cooperativa, além de depósitos de fios, de máquinas e de produtos químicos. Foram tiradas fotos, tanto das indústrias têxteis, como dos depósitos e dos trabalhadores fabris em seu mundo vivido. Jardim de Piranhas concentra o maior número de suas empresas na zona urbana ao passo que Tacaratu as concentra na zona rural. Em função da presença dos diferentes circuitos de fluxos sócio-espaciais da indústria têxtil destes municípios – sejam os circuitos de fluxos inferiores informais, circuitos de fluxos inferiores formais e os circuitos de fluxos superiores secundários – formam-se diferentes circuitos espaciais da produção, incluindo-se os circuitos espaciais da produção local, circuitos espaciais da produção regional, circuitos espaciais da produção nacional e internacional.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJ
ROADDRJI

PERIÓDICOS CAPES

 

 

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.