VALE DO AÇU-RN: A PASSAGEM DO EXTRATIVISMO DA CARNAÚBA PARA A MONOCULTURA DE BANANA

Gleydson Pinheiro Albano, Alcindo José de Sá

Resumo


Este artigo tem como objetivo fazer uma análise dos impactos da passagem de uma produção extrativa (cera de carnaúba) para uma monocultura de frutas voltadas para a exportação no semi-árido do Nordeste do Brasil, em uma microrregião conhecida por Vale do Açu, no Rio Grande do Norte. Com vistas à consecução do mesmo objetivo, o artigo busca analisar através da metodologia de análise de uma série de estatísticas, a evolução da produção de cera de carnaúba no referido Vale desde a década de 1920 até o declínio na década de 1970, além de procurar estabelecer a ligação entre o declínio desse produto e o uso do solo com a fruticultura irrigada, que, na década de 1970, ainda era incipiente destacando-se mais na década de 1980 e, principalmente na de 1990, quando ocorre a chegada da Multinacional Del Monte Fresh Produce, que inaugura a monocultura de banana para exportação. Utiliza-se também de uma pesquisa bibliográfica e documental na temática proposta executada na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no banco de dados do Banco do Nordeste e no Núcleo de Pesquisa da Seca da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Além de se fazer um levantamento documental no cartório da região e de entrevistar moradores do Vale do Açu.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJLATINDEX
ROADDRJI
PERIÓDICOS CAPES