ALBEDO DE SUPERFÍCIE ESTIMADO A PARTIR DE IMAGENS LANDSAT 5 – TM NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO

Ana Paula Nunes da Silva, Geber Barbosa de Albuquerque Moura, Pedro Rogério Giongo, Bernardo Barbosa da Silva

Resumo


Recentemente o sensoriamento remoto e as técnicas de geoprocessamento vêm sendo usado em diversas áreas da pesquisa, principalmente no monitoramento ambiental do Brasil. Por sua grande extensão territorial a aplicação destas ferramentas é de grande importância no país, haja vista que se pode assim realizar diagnósticos de áreas de difícil acesso por meio de transportes e de acordo com a resolução temporal dos satélites pode-se realizar um monitoramento efetivos destas áreas. Como até o presente momento não foram desenvolvidos trabalhos para avaliar em que estado se encontra o processo de desertificação na região de Floresta (PE) através de técnicas de sensoriamento remoto o presente estudo tem como objetivo analisar a evolução do processo de desertificação em duas áreas (uma conservada e outra degradada) na região do Sertão do Estado de Pernambuco através de uma série temporal de imagens Landsat Thematic Mapper (TM), visando conhecer o grau de degradação das áreas analisadas, bem como verificar se estas estão realmente susceptíveis ao processo de desertificação. Verificou-se que ambas as áreas analisadas apresentaram um aumento no albedo ao longo dos anos, logo se pode inferir que esta havendo uma degradação das terras analisadas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJ
ROADDRJI

PERIÓDICOS CAPES

 

 

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.