ANÁLISE MORFOESTRUTURAL DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO – SP: POSSÍVEIS APLICAÇÕES AMBIENTAIS

Fabiano do Nascimento Pupim, Juércio Tavares de Mattos, Jairo Roberto Jiménez-Rueda

Resumo


Atualmente é crescente a necessidade de se conhecer o ambiente e seus aspectos físicos, bióticos e socioeconômicos para a elaboração de zoneamentos que auxiliem em ações de planejamento e manejo racional da terra. É nesse contexto que se enquadra o presente trabalho, que tem como objetivo aplicar a análise morfoestrutural no município de Rio Claro - SP, com a finalidade de compreender a distribuição e o comportamento das estruturas e suas relações com os processos que ocorrem em superfície e subsuperfície para, assim, auxiliar na elaboração de zoneamentos. A análise morfoestrutural trata-se de uma sistemática de trabalho que pode ser resumida em três etapas: extração da rede de drenagem, análise da rede de drenagem e interpretação morfoestrutural. O principal resultado é expresso pelo mapa de linhas de contorno estrutural não-cotadas, que indicam a distribuição das morfoestruturas (altos e baixos estruturais), contorno estrutural e lineamentos que definem a conformação estrutural da área. O correto entendimento das morfoestruturas permite o conhecimento de aspectos relativos à dinâmica da paisagem e, assim, muito contribui para o estabelecimento das fragilidades e potencialidades das mesmas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.51359/2238-6211.2010.228825

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJ
ROADDRJI

PERIÓDICOS CAPES

 

 

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.