TERRITORIOS ERRANTES: UM AUXÍLIO GEOGRAFICO À COMPREENSÃO DOS ESPAÇOS CIGANOS NO RECÔNCAVO BAIANO.

Márcio E. Dantas Estevam

Resumo


Este artigo propõe analisar a territorialidade cigana no Recôncavo Baiano focalizando os municípios de Governador Mangabeira e Cruz das Almas. Tendo o território como conceito base da pesquisa, em sua vertente relacional, onde, a territorialidade pressupõe relações de poder projetadas em um substrato referencial. A territorialidade cigana é entendida neste estudo como multiescalar, sendo sua análise permeada pelas escalas urbana e regional. O conceito de território foi selecionado justamente para alicerçar uma análise das relações de poder exercidas pelos ciganos no contexto trabalhado. Observou-se ainda as varias relações entre os grupos ciganos localizados em diversos municípios, que delimitam um espaço apropriado de escala maior, configurando-se o território-rede. Quanto aos procedimentos metodológicos, utilizou-se o cruzamento entre métodos qualitativos e quantitativos, tendo como suporte a Nova Geografia Cultural.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJ
ROADDRJI

PERIÓDICOS CAPES

 

 

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.