MORFOLOGIA FLUVIAL COMO INDICADOR DE GEODIVERSIDADE: EXEMPLOS DE RIOS BRASILEIROS

Juliana de Paula Silva, Cleide Rodrigues

Resumo


Os estudos a respeito da questão da geodiversidade que vêm sendo desenvolvidos a partir da década de 1990 trazem uma série de novas necessidades de pesquisa para as Ciências da Terra, particularmente para a Geomorfologia. O presente trabalho visa demonstrar o potencial de utilização de variáveis da geomorfologia fluvial como indicadores de geodiversidade. Considerando a subutilização deste tipo de indicador em estudos ambientais no Brasil (RODRIGUES, 1997) e no mundo (BERGER, 1996 entre outros), o presente estudo também demonstra como, a partir da diversidade morfológica fluvial é possível enriquecer avaliações de biodiversidade. São principalmente considerados parâmetros como padrões de canais, composição do leito e largura de canais. Toma-se como exemplos, o rio Paraná e o rio Xingu e trechos fluviais singulares e de excepcional beleza cênica, que foram ou poderão ser inundados e irreversivelmente perdidos a partir da construção de usinas hidrelétricas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJLATINDEX
ROADDRJI
PERIÓDICOS CAPES