RELAÇÕES ENTRE USO, DEGRADAÇÃO E VARIÁVEIS HIDROGEOMORFOLÓGICAS NAS TRILHAS ECOTURÍSTICAS DO PARQUE NACIONAL DA SERRA DOS ÓRGÃOS

Lia Lutz Kroeff, Telma Mendes da Silva

Resumo


O foco desta pesquisa foi a relação dos processos atuantes nas trilhas ecoturísticas com os atuantes nas paisagens. Ainda se faz necessário melhor compreender os processos atuantes nas trilhas com a dinâmica das paisagens em suas diferentes escalas. O objetivo geral foi contribuir com uma proposta metodológica para o planejamento e a avaliação do traçado de trilhas ecoturísticas. O trabalho teve como área de estudo o Parque Nacional da Serra dos Órgãos. A metodologia desenvolvida se embasou na estrutura de níveis hierárquicos da ecologia da paisagem de Forman (1995). Atribuiu-se ao nível +1 as variáveis hidrogeomorfológicas com mais influência sob a degradação das trilhas. Os resultados indicaram que trilhas localizadas em sub-bacias hidrográficas de primeira e zero ordem com amplitudes altimétricas maiores que 200 metros e declividades acima de 45%, estão mais propensas à degradação. Sob essas condições e distantes a menos de 30 metros da drenagem, em curvaturas convergentes em planta e côncavas em perfil estão mais sujeitas ao acúmulo de água; em curvaturas convergentes em planta e côncavas em perfil, mais sujeitas à erosão em sulco; e em curvaturas divergentes em planta e convexas em perfil mais propensas à erosão laminar.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJLATINDEX
ROADDRJI
PERIÓDICOS CAPES