EVOLUÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DE ÁREAS DENSAMENTE VERDES EM BELO HORIZONTE, MG UTILIZANDO TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO

Rafael Ávila Rodrigues, Rafael Coll Delgado, Roziane Sobreira dos Santos, André Luiz Lopes de Faria

Resumo


As cidades vêm passando por um processo contínuo de mudanças desde a Revolução Industrial com significativas alterações em seus padrões de crescimento, substituindo de maneira indiscriminada as coberturas vegetais originais por materiais impermeabilizantes e esses aspectos têm influenciado várias mudanças ambientais inclusive os padrões climáticos. Nesse sentido, os objetivos principais do presente trabalho foram: estimar índices de vegetação e posteriormente comparar a evolução espaço-temporal destas imagens com a climatologia de Belo Horizonte, MG identificando as alterações em áreas verdes. Utilizou-se a série histórica diária das temperaturas médias do ar, de um período que compreendeu 49 anos (1961-2010), da Estação Meteorológica do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia) com sede em Belo Horizonte, MG, e, imagens do sensor TM, a bordo do satélite Landsat-5, órbita 217.74, de 1984 a 2010. Os resultados mostraram que entre os anos de 1984 a 2010 ocorreu uma diminuição das áreas verdes. O município de Belo Horizonte apresentou uma tendência de aumento da temperatura mínima e uma pequena elevação da temperatura média. Analisando o albedo da superfície da área de estudo é perceptível constatar um aumento significativo ao longo dos 26 anos estudados. Observou-se aumento do albedo com o passar dos anos, sendo que o valor mínimo encontrado foi no dia 30/07/1992 com 0,093 e o valor máximo no dia 25/08/2007 com 0,365. A área urbana teve um aumento de 37% o que acarretou diminuição das áreas verdes.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJLATINDEX
ROADDRJI
PERIÓDICOS CAPES