EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA (ETo) SEGUNDO THORNTHWAITE MODIFICADO, CALIBRADO NA BACIA DO RIACHO GAMELEIRA – ESTADO DE PERNAMBUCO

Ada Ravana Costa Moura, Suzana Maria Gico Lima Montenegro, Bernardo Barbosa da Silva, Antônio Celso Dantas Antonino, Leidjane Maria Maciel de Oliveira, José Roberto Gonçalves de Azevedo

Resumo


Para estimativa da evapotranspiração de referência (ETo) os métodos baseados na temperatura do ar vêm sendo bastante utilizados, considerando que muitas áreas não são cobertas por estações meteorológicas com monitoramento de variáveis que permitam aplicabilidade de métodos mais complexos. Um dos métodos mais empregados baseado na temperatura do ar é o de Thornthwaite. Entretanto, este método pode não estimar satisfatoriamente a ETo por não considerar o efeito aerodinâmico. A introdução da temperatura efetiva, corrigida em função da amplitude térmica diária e do coeficiente “k”, pode representar este efeito e esta alteração caracteriza o método de Thornthwaite Modificado. Este trabalho teve por objetivo identificar e testar diferentes coeficientes mensais de “k” para o cálculo da temperatura efetiva e, consequentemente, da evapotranspiração de referência. O local de estudo foi a bacia experimental do riacho Gameleira, no estado de Pernambuco, compreendendo o período de janeiro de 2004 a março de 2009. Foram consideradas as escalas de tempo de 1, 5, 10, 15 e 30 dias. O método de Thornthwaite Modificado foi comparado com o método proposto por Allen et al. (1998), recomendado pela FAO. Os resultados encontrados mostraram que com a utilização de diferentes coeficientes “k” o desempenho do método de Thornthwaite Modificado melhorou significativamente nas escalas de tempo de 5 a 30 dias, com coeficientes de determinação variando de 0,706 a 0,892. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJLATINDEX
ROADDRJI
PERIÓDICOS CAPES