RESENHA: ALMEIDA, ROSEMEIRE APARECIDA DE. (RE)CRIAÇÃO DO CAMPESINATO, IDENTIDADE E DISTINÇÃO: A LUTA PELA TERRA E O HABITUS DE CLASSE. SÃO PAULO: UNESP, 2006. 377p.

Claudemir Martins Cosme

Resumo


A presente resenha busca trazer ao debate a importante contribuição da Professora Rosemeire Aparecida de Almeida aos estudos da questão camponesa no Brasil com a publicação do livro (Re) criação do campesinato, identidade e distinção: a luta pela terra e o habitus de classe. Obra bastante densa e rigorosa no tocante aos aspectos teórico-conceituais e dos instrumentos de pesquisa de campo, o que não impede de serem escritos de cativante e envolvente leitura, organizados em introdução, cinco capítulos e considerações finais. O livro é recomendado aos pesquisadores que têm na questão agrária, especificamente o campesinato, a reforma agrária e a luta pela terra, a centralidade do estudo, bem como, um livro não só para a discussão dentro dos muros das universidades, mas essencialmente um trabalho que deve animar e incentivar o debate no seio dos movimentos sociais e organizações que lutam lado a lado com os camponeses.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJ
ROADDRJI

PERIÓDICOS CAPES

 

 

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.