NO ITINERÁRIO DOS EXPULSOS PELA UHE ESTREITO. TERRITÓRIO DOS SUJEITOS RIBEIRINHOS NO RIO TOCANTINS

Eliseu Pereira de Brito, Maria Geralda de Almeida

Resumo


A pesquisa foi realizada com ribeirinhos das margens do rio Tocantins no percurso Barra do Ouro - Tocantins à Estreito – Maranhão. Trata-se de uma pesquisa realizada em dois momentos, com o ribeirinho na margem do rio Tocantins e os mesmos, “expulsos” do território pós enchimento do lago da UHE Estreito. Desenvolvemos a pesquisa com entrevistas semiestruturadas e pela observação com participação na comunidade. O avanço do agronegócio no Cerrado tocantinense se intensificou nos anos 2000, período que coincide com o início das construções, no Estado, de hidrelétricas no rio Tocantins, que já totalizam quatro usinas em funcionamento: a UHE Estreito, a UHE Luís Eduardo Magalhães – Lajeado -, a UHE São Salvador e a UHE Peixe-Angical. Os lagos daí resultantes submergiram os territórios dos ribeirinhos, sujeitos tocantinenses e maranhenses ou migrantes de outros estados. O entendimento do território fundamenta-se em Jöel Bonnemaison para quem o território tem função social e cultural. Nesta leitura foi possível delimitarmos entre identificação e territorialidades algumas faces da vivência dos ribeirinhos do rio Tocantins. Entre territórios e desterritorialização há uma reterritorialização dos sujeitos em ambientes diferentes aos seus territórios ribeirinhos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJLATINDEX
ROADDRJI
PERIÓDICOS CAPES