BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS: A “PRESENÇA DE AUSÊNCIAS” NO AGRESTE PERNAMBUCANO – A INFÂNCIA ESCONDIDA NA PAISAGEM ARTESÃ

Rutt Keles Alexandre da Silva, Jadson Freire da Silva

Resumo


Em cidades do Agreste pernambucano como Gravatá e Bezerros, artesãos brinquedistas revisitam suas memórias
infantes e ao mesmo tempo alimentam o mercado enfraquecido dos artesanatos lúdicos. Os brinquedos que
ainda hoje são capazes de povoar calçadas e quintais nos momentos de lazer, podem também representar
tradições e formas de brincar profundamente enraizadas em certos territórios. Neste sentido, com respaldo
significativo da geografia e a psicologia, este trabalho se propôs a refletir sobre as tramas lúdicas aproximandoas
de conceitos como presenças de ausências, lugares de memória e patrimônio afetivo. Aliado a isto, tendo por
base a pesquisa de campo nas citadas cidades, pôde-se interpretar a paisagem artesã notadamente diversa em
temas, tipologias, cores, símbolos e significados, destacando o papel dos mestres artesãos, que ajudam a
fortalecer laços afetivos e identidades culturais através de seu ofício.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJLATINDEX
ROADDRJI
PERIÓDICOS CAPES