MUDANÇAS NA FORMA DE REPRODUÇÃO CAMPONESA E EM SUAS RELAÇÕES COM O ESTADO

Ana Carolina Gonçalves Leite, Erick Kluck, Fábio Teixeira Pitta

Resumo


Neste artigo, discutimos as transformações nas condições de reprodução dos camponeses do Vale do Jequitinhonha (Minas Gerais) e do Médio São Francisco (Bahia) engendradas, em parte, pela ampliação do acesso ao crédito e subsídios estatais. Com isso, consideramos a possibilidade de interpretar o atual processo de reprodução camponesa, sobretudo no aparente contexto de “recampesinação” a partir da perspectiva de sua inserção no processo de reprodução da mobilidade do trabalho.

Partindo do debate entre a perspectiva que afirma a superação do campesinato em função da proletarização geral da sociedade e a que afirma a reposição das condições para a reprodução camponesa, questionamos aspectos de ambas as perspectivas ao perguntar sobre o caráter da forma social pela qual a mobilidade do trabalho se impõe atualmente aos trabalhadores assalariados e aos camponeses.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJLATINDEX
ROADDRJI

PERIÓDICOS CAPES