AGROHIDRONEGÓCIO CANAVIEIRO: apropriação da terra e da água

Pedro Dias Mangolini Neves, Marcelo Rodrigues Mendonça

Resumo


Este trabalho vem com o intuito de discutir sobre o agrohidronegócio canavieiro, acreditando que não é somente a apropriação e exploração da terra e do trabalho que se baseia as estratégias do agronegócio canavieiro, mas como também pela apropriação da água. Através de discussão teórica sobre o conceito de Pegada Hídrica e elaboração do mapa de área ocupada por pivôs centrais em Goiás, com a localização das usinas canavieiras do estado, inferimos que o pivô central se materializa como exemplo do agrohidronegócio, em que as commodities agrícolas se apropriam da água, de forma ilegal ou legalmente por meio de outorgas, e de que o setor canavieiro se utiliza desta estratégia para se territorializar no estado de Goiás.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJ
ROADDRJI

PERIÓDICOS CAPES

 

 

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.