QUALIDADE DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NA BACIA ENDORREICA DO TABULEIRO DO MARTINS, MACEIÓ-AL

Robson Bezerra de Lima, José Vicente Ferreira Neto

Resumo


A água é um recurso natural limitado, provavelmente o único recurso natural associado com todos os aspectos da civilização humana, desde o desenvolvimento agrícola e industrial aos valores culturais e religiosos arraigados na sociedade. É essencial à vida, seja como componente bioquímico de seres vivos, como meio de vida de várias espécies vegetais e animais, como elemento representativo de valores sociais e culturais e até como fator de produção de vários bens de consumo final e intermediário. Esta pesquisa traz, como temática, o estudo da qualidade das águas subterrâneas da bacia endorreica do Tabuleiro do Martins, Maceió/AL, localizada no domínio dos Tabuleiros Costeiros de Maceió, na Bacia Sedimentar Alagoas, onde essas águas são intensivamente exploradas para consumo humano e industrial. Trata-se de uma bacia endorreica, onde as águas superficiais se acumulam nas depressões do terreno natural, de onde evaporam ou infiltram no solo. A região possui clima tropical, subúmido seco, com baixa amplitude térmica e precipitações anuais em torno de 1480 mm, referente ao período 1913 a 1983. A recarga dos sistemas aquíferos se dá principalmente pela infiltração do excedente de águas pluviais, estimada em 400 mm anuais. Das unidades litoestratigráficas na região, são exploradas as formações Barreiras, Marituba e Poção, isoladamente ou em conjunto, quando formam um só sistema aquífero. Dentre as atividades potencialmente poluidoras identificadas na região, destacam-se: sistema de esgotamento sanitário, constituído por fossas sépticas e sumidouros; efluentes líquidos industriais na área do Polo Multissetorial Governador Luiz Cavalcante; postos de combustíveis; e o sistema de drenagem superficial da região, constituído de lagoas para amortecimento de cheias que são também utilizadas como corpos receptores de efluentes domiciliares e industriais. Foi adotado o método hipotético dedutivo para a avaliação da qualidade das águas subterrâneas locais captadas por poços tubulares da Companhia de Saneamento de Alagoas (CASAL), inicialmente através da análise estatística dos parâmetros físico-químicos determinados pela CASAL nos anos de 2008 e 2018, visando também o estudo comparativo dos dados disponíveis nesse período.

Foi avaliada a variabilidade espacial dos parâmetros físico-químicos das águas subterrâneas, visando identificar áreas sujeitas à contaminação, principalmente em regiões que possuem relevância econômica e ambiental para a sociedade. Também foi identificado o grau de vulnerabilidade natural das águas subterrâneas da bacia endorreica do Tabuleiro do Martins, através do modelo GOD, índice de vulnerabilidade baseado na litologia, na profundidade até o lençol freático e no grau de confinamento da água subterrânea. Por fim, a pesquisa identificou áreas na bacia endorreica do Tabuleiro do Martins onde já há indícios de poluição ou degradação das águas subterrâneas comparando com o grau de vulnerabilidade natural correspondente.

Palavras-chave: Poluição de águas subterrâneas; Geoestatística; Vulnerabilidade de aquíferos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJ
ROADDRJI

PERIÓDICOS CAPES

 

 

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.