A EXPANSÃO DA CULTURA CANAVIEIRA EM MUNICÍPIOS PERTENCENTES AOS ESCRITÓRIOS DE DESENVOLVIMENTO RURAL DE FERNANDÓPOLIS E JALES, SÃO PAULO, ENTRE 1984 E 2014

Edy Carlos Santos Lima, Rosemary Matias, José Carlos Pina, Ademir Kleber Morbeck Oliveira

Resumo


A região noroeste do estado de São Paulo teve como principal atividade econômica nas últimas décadas do século XX, a pecuária. Porém no início do século XXI apresentou uma forte expansão do setor sucroenergético. Por este motivo, objetivou-se analisar o uso e ocupação do solo entre os anos de 1984 e 2014, verificando as mudanças na paisagem na área dos Escritórios de Desenvolvimento Rural (EDR) de Jales e Fernandópolis. Foram utilizadas imagens dos satélites Landsat, anos de 1984, 1994, 2004 e 2014 e realizada a quantificação das classes de paisagens, utilizando-se o processamento digital de imagens, por meio dos Sistemas de Informação Geográficas. Os resultados indicaram um crescimento de 3.000% da área canavieira, e como consequência, redução de 20,01% de pastagens, 30,34% da vegetação florestal, 82,60% de vegetação campestre e, 21,68% dos corpos hídricos. Verificou-se também que até 2004, a presença canavieira era maior na área da EDR de Fernandópolis. Após esta data, começou sua expansão para Jales. Os resultados indicaram o início de uma nova matriz econômica na região, com a substituição gradativa das pastagens por plantios de cana-de-açúcar, alterando a dinâmica de paisagem e impactando de diversas maneiras a área das EDRs.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJ
ROADDRJI

PERIÓDICOS CAPES

 

 

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.