Políticas Públicas e Exclusão Social: ou como as cidades constroem suas periferias

Breno Augusto Souto-Maior Fontes

Resumo


Recentes mudanças com impacto global geraram profundas mudanças nas relações entre diversas regiões do planeta, definindo processos e colocando novas agendas de investigação. Este artigo tem por objetivo tratar destas novas dinâmicas, em especial aquelas que remetem ao conceito de periferia. Quando tratamos de “periferia”, “periferização”, reportamo-nos a um conjunto bastante amplo de fenômenos que indicam, em boa parte dos casos, processos sociais geradores de desigualdade.  Periferias urbanas, segregação espacial e articulação de cidades em redes são temáticas aqui analisadas, sugerindo novas dinâmicas, observadas tanto na perspectiva das relações interurbanas quando naquelas que se verificam no interior das cidades. Temos, portanto, em uma dinâmica de sociabilidade globalizada, conceitos como fronteira e periferia relativamente inaplicáveis. Que fronteiras podem ser estabelecidas quando, ao mesmo tempo em que há uma comunidade local, vivendo suas vicissitudes particulares e comungando suas culturas específicas, e outra global, partilhando de um modo de vida que se reproduz em outras partes do planeta? Qual periferia, quando não se pode falar propriamente em centro

Palavras-chave


Cidades; Território; Globalização

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:

  

Dialnet

 

 

 

 

Revista MOVIMENTOS SOCIAIS E DINÂMICAS ESPACIAIS

Universidade Federal de Pernambuco (UFPE); Telefone: +55 (81)2126-7372; E-mail: revistamsde@gmail.com

Recife - Pernambuco - Brasil

 

 Licença Creative Commons

 A Revista Movimentos Sociais e Dinâmicas Espaciais foi licenciada com uma Licença Creative Commons