Justiça ambiental: uma tarefa difícil em contexto territorial de ausência do espaço do cidadão

Cláudio Jorge Moura de Castilho

Resumo


Fundamentamo-nos em uma problemática relacional para demonstrar que a justiça ambiental é uma conquista social que só pode acontecer quando se tem acesso, primeiramente, ao espaço do cidadão, ou seja, pela concretização dos direitos civis, políticos e sociais, no âmbito de um contexto histórico-geográfico efetivamente democrático. A metodologia e estruturação deste texto basearam-se em uma revisão bibliográfica e da literatura acerca dos conceitos norteadores da discussão, bem como na utilização de informações extraídas de experiências empíricas e, ao mesmo tempo, do estado da arte relativo à questão levantada. Conclui-se que, apesar das adversidades inerentes a uma formação territorial desigual, há esperanças de se conquistar o espaço do cidadão, tendo a justiça ambiental como meta.

Palavras-chave


Natureza, Espaço do Cidadão, Democracia, Justiça Ambiental.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:

          

         

    

 

 

 

 

REVISTA MOVIMENTOS SOCIAIS E DINÂMICAS ESPACIAIS (ISSN: 2238-8052)

Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Departamento de Ciências Geográficas, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Cidade Universitária, Av. Prof. Moraes Rego, n. 1235, CEP: 50670-901, Recife, Pernambuco, Brasil

Tel.: +55 (81)2126-7369

E-mail: revistamsde@gmail.com

 

 Licença Creative Commons

 A Revista Movimentos Sociais e Dinâmicas Espaciais foi licenciada com uma Licença Creative Commons