Processo participativo das comunidades rurais no “sequestro do carbono” em Moçambique

André Camanguira Nguiraze

Resumo


Este artigo tem como objetivo principal apresentar algumas reflexões sobre a incorporação de práticas participativas e de mecanismos voltados para a articulação das comunidades rurais no processo de “sequestro de carbono”, na zona tampão, do Regulado de Nhambita. Optou-se pela pesquisa-ação, nesta proposta, pois permitiu o acompanhamento e avaliação das ações realizadas em ações participativas das comunidades rurais moçambicanas no sequestro do carbono através do envolvimento no agroflorestamento. Assim, pela metodologia adotada, foi possível compreender os mecanismos da produção alimentar e os riscos de estarem seriamente comprometidas nesta atividade devido à implementação de projetos de plantio e conservação de árvores para a captura de carbono e à chamada Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal Plus (REDD+). Tais projetos poderão conduzir as comunidades locais a graves situações de insegurança alimentar e resultar na perda da posse de terra e do controle de recursos florestais por parte de camponeses, tanto que o comércio de carbono e REDD+ readapta os camponeses a “cultivar” o carbono a serviço dos países poluidores.


Palavras-chave


Agroflorestamento; Comunidades Rurais; Créditos de Carbono; Participação e Regulado de Nhambita

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:

          

         

    

 

 

 

 

REVISTA MOVIMENTOS SOCIAIS E DINÂMICAS ESPACIAIS (ISSN: 2238-8052)

Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Departamento de Ciências Geográficas, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Cidade Universitária, Av. Prof. Moraes Rego, n. 1235, CEP: 50670-901, Recife, Pernambuco, Brasil

Tel.: +55 (81)2126-7369

E-mail: revistamsde@gmail.com

 

 Licença Creative Commons

 A Revista Movimentos Sociais e Dinâmicas Espaciais foi licenciada com uma Licença Creative Commons