Território, violência e medo: evidências no bairro de Felipe Camarão, Natal/RN

Eugênia Maria Dantas, Emilly Domingos da Silva

Resumo


Tendo como tese a ideia de que a cidade é um corpo afetado e promove afetações, estar na cidade é experimentar o encontro de corpos que estão a se mover com velocidades e ritmos diferentes. Esses encontros possibilitam a emergência de paisagens, denotando a multiplicidades das formas, contornos, sons, cores, volumes.  Para o desenvolvimento dessa linha de raciocínio foi selecionado o bairro de Felipe Camarão para o estudo da paisagem, considerando o fenômeno da violência e do medo.  Nessa perspectiva a percepção espacial é uma estratégia de método que diferencia a intensidade como as pessoas que habitam um local o compreendem e o decifram a partir dos laços de afeição e pertencimento. Desta forma os moradores são os agentes singulares para deliberar sobre o espaço no qual habitam, pois eles têm vivências com tais espaços rotineiramente e são partes vivas desses lugares. 


Palavras-chave


cidade; corpos; violência; medo

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:

          

         

    

 

 

 

 

REVISTA MOVIMENTOS SOCIAIS E DINÂMICAS ESPACIAIS (ISSN: 2238-8052)

Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Departamento de Ciências Geográficas, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Cidade Universitária, Av. Prof. Moraes Rego, n. 1235, CEP: 50670-901, Recife, Pernambuco, Brasil

Tel.: +55 (81)2126-7369

E-mail: revistamsde@gmail.com

 

 Licença Creative Commons

 A Revista Movimentos Sociais e Dinâmicas Espaciais foi licenciada com uma Licença Creative Commons