Os vetores praianos na produção do espaço metropolitano do Recife

Otávio Augusto Alves dos Santos

Resumo


Este trabalho procura refletir sobre a praia como vetor da produção do espaço metropolitano, dando ênfase ao processo de urbanização litorânea do Recife. A hipótese é a de que essas praias foram apropriadas inicialmente e transformadas em vetores, que indicavam tanto o sentido da urbanização, quanto seu veículo, fomentando processos de valorização e consumo do espaço. Na tentativa de responder, recorre-se ao método histórico-dialético, tendo como procedimento: o levantamento bibliográfico sobre o processo de urbanização litorânea no Nordeste do Brasil; observação de dados sobre crescimento urbano metropolitano, atividades turísticas e investimentos públicos em infraestrutura; além de visita in situ e reflexão crítica. Ao final, conclui-se que as praias do Recife têm sido, desde o início do séc. XX, o ambiente por onde a cidade vem crescendo, interligando-se com outros núcleos urbanos e, consequentemente, criando sua região metropolitana.

Palavras-chave


Vetores; Espaço metropolitano; Praias do Recife

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.46802/rmsde.v9i2.247737

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:

          

         

    

 

 

 

 

REVISTA MOVIMENTOS SOCIAIS E DINÂMICAS ESPACIAIS (ISSN: 2238-8052)

Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Departamento de Ciências Geográficas, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Cidade Universitária, Av. Prof. Moraes Rego, n. 1235, CEP: 50670-901, Recife, Pernambuco, Brasil

Tel.: +55 (81)2126-7369

E-mail: revistamsde@gmail.com

 

 Licença Creative Commons

 A Revista Movimentos Sociais e Dinâmicas Espaciais foi licenciada com uma Licença Creative Commons