Movimento Xingu Vivo para sempre em face da COVID-19 na área atingida pela Hidroelétrica Belo Monte (PA): articulações, solidariedade e luta política no interior amazônico

José Antônio Magalhães Marinho, Daniela Soares da Silva, Caio Felipe da Silva Rodrigues

Resumo


Nesse trabalho, tematiza-se a atuação do Movimento Xingu Vivo Para Sempre diante da pandemia da Covid-19 na área atingida pela hidrelétrica Belo Monte, no médio rio Xingu, Estado do Pará. Partindo de procedimentos de pesquisa qualitativa, aponta-se como esse movimento social reestruturou suas ações diante da pandemia, estabelecendo parcerias para exigir medidas de enfrentamento à Covid-19, participando de ações solidárias voltadas a grupos sociais vulneráveis e criando espaços virtuais de discussão acerca das questões ambientais/territoriais na Amazônia brasileira. Em face dessas ações, infere-se que o Movimento Xingu Vivo Para Sempre, de uma perspectiva geográfica, configura-se como um movimento socioespacial, cujas atuação é imprescindível numa área de grande projeto capitalista, marcada por diversas contradições sociais, aprofundadas pela pandemia.  


Palavras-chave


Movimento xingu vivo; Covid-19; Lutas sociais; Ações solidárias; Médio rio Xingu (PA);

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.46802/rmsde.v9i2.248590

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:

          

         

    

 

 

 

 

REVISTA MOVIMENTOS SOCIAIS E DINÂMICAS ESPACIAIS (ISSN: 2238-8052)

Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Departamento de Ciências Geográficas, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Cidade Universitária, Av. Prof. Moraes Rego, n. 1235, CEP: 50670-901, Recife, Pernambuco, Brasil

Tel.: +55 (81)2126-7369

E-mail: revistamsde@gmail.com

 

 Licença Creative Commons

 A Revista Movimentos Sociais e Dinâmicas Espaciais foi licenciada com uma Licença Creative Commons