O SER CRIANÇA EM UM CONTEXTO DE AVANÇO TECNOLÓGICO

Marcela Karolinny da Silva da Costa, Viviane de Bona

Resumo


Introdução: As crianças estão em mudança contínua e as concepções sobre a infância variam no decorrer da história. Estudos assinalam a necessidade de um novo olhar sobre a participação infantil em pesquisas e reconhecem a importância da perspectiva e voz da criança (NATIVIDADE; COUTINHO, 2012), destacando, deste modo, seu protagonismo na produção de conhecimento (SOUZA, 2008). Este trabalho se fundamenta, teoricamente e metodologicamente, na teoria das representações sociais (MOSCOVICI, 2007), visto que essa teoria considera as construções do senso comum - que são os sentidos compartilhados coletivamente - norteando comportamentos, justificando-os e permitindo a comunicação social. Se levarmos em conta a existência de diferentes formas de conhecimento, onde o sujeito ao agir sobre o meio social, também sofre influência desse meio e constrói representações sociais a partir desta interação, podemos considerar que as representações que as pessoas têm de criança orientam suas ações e podem estar em modificação. Nesse sentido, no espaço social caracterizado hoje como sociedade do conhecimento, encontra-se a criança que sofre influências deste contexto na caracterização de sua identidade. Este trabalho apresenta uma análise parcial dos dados encontrados em um projeto de iniciação cientifica que pretende compreender a construção da infância em um contexto de globalização e expansão tecnológica. À vista disso, o presente trabalho tem por objetivo identificar as representações sociais de criança compartilhadas por estudantes de escolas da rede pública situadas na capital Pernambucana, de maneira a proporcionar a participação das crianças como atores sociais, valorizando a originalidade de suas perspectivas.

Texto completo:

PDF

Referências


MOSCOVICI, S. Representações Sociais: investigações em psicologia social. 5.ed. Petrópolis-RJ: Vozes, 2007.

NATIVIDADE, M. R.; COUTINHO, M. C. O trabalho na sociedade contemporânea: os sentidos atribuídos pelas crianças. Psicologia & Sociedade. 24 (2), 430-439, 2012.

SOUZA, S. M. G. O estudo da infância como revelador e desvelador da dialética exclusão-inclusão social. In S. H. V. Cruz (Org.). A criança fala: a escuta de crianças em pesquisas. São Paulo: Cortez ,2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Semana  Pedagógica ISSN 2595-1572 (on line)