RELATO DE EXPERIÊNCIA: PRINCESAS DO SÉCULO XXI - MULHERES E SEUS PAPÉIS SOCIAIS

Maria Jaciara dos Santos Silva, Graziella Moura da Silva, José Eduardo Garcia, Sérgio Matias, Tatiana Cristina Santos Araújo

Resumo


Introdução:As questões sobre gênero são inerentes à vida do ser humano, seja no âmbito educacional ou familiar, por essa razão é compreensível à importância das discussões sobre tal temática. Compreendendo que o ser humano depende daquilo que aprende, do que conhece e utilizada cultura acumulada para ser aquilo que é (CARRARA; 2004). Ao longo da história muitas mulheres foram colocadas como segundo plano, ignorando sua importância social e cultural. Fatores esses que infelizmente repercutem até a atualidade. Gerando-se assim um ambiente altamente machista, sexista e desigual contra as mulheres. Ao analisar a fonte de tais problemas encontra-se influências ainda na infância, um exemplo, é a empresa Walt Disney que apresenta filmes de princesas consideradas como péssimos exemplos femininos. Os filmes das princesas da Disney são poderosos influenciadores na educação infantil, a empresa utiliza as crianças como marionetes no mercado consumidor, além de apresentar mulheres frágeis, submissas, padronizadas, dependentes, domésticas, passivas, entre outras características que reforçam os estereótipos femininos ultrapassados. Compreendendo todas essas dificuldades e limitações impostas às mulheres, duas graduandas do curso de pedagogia da UFPE realizam a oficina princesas do século XXI - mulheres e seus papeis social. Na sua participação na segunda edição do projeto UFPE no meu quintal, desenvolvido em janeiro de 2018, na cidade de Iguaraci, sertão de Pernambuco. Diante disso o relato de experiência tem por objetivo analisar a compreensão dos moradores da cidade de Iguaraci, sertão de Pernambuco, sobre as representações das princesas da Disney e definição dos papéis femininos. Além de verificar como as mudanças históricas contribuíram para formação de estereótipos femininos com relação à aparência, comportamento e relacionamentos; Compreender a visão da sociedade atual, sobre o papel feminino no contexto familiar e profissional; a partir da análise dos questionários.

Texto completo:

PDF

Referências


ADICHIE, Chimamanda Ngozi. Para educar crianças feministas: um manifesto. 1.ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. Sejamos todos feministas. 1.ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

BREDER, Fernanda Cabanez. Feminismo e príncipes encantados: a representação feminina nos filmes de princesa da Disney. Tese - Comunicação Social/ Jornalismo, Universidade Federal Do Rio De Janeiro, 2013.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 2.ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Semana  Pedagógica ISSN 2595-1572 (on line)